Overkill #3a – Portáteis: jogue-os ou DEIXE-OS

Neste Overkill, dessa vez em texto, Erick Seika e Mateus Lima discutem suas experiências com videogames portáteis e te ajudam a responder à difícil pergunta: afinal, os portáteis funcionam pra você?

Confira aqui porque o Mateus Lima não consegue passar horas em frente a uma tela de 4 polegadas:

O Meu Problema com Vídeo Games Portáteis

Não me entenda mal pelo título deste texto, não quero praguejar contra os portáteis nem criticar quem gosta dos mesmos, minha única intenção aqui é contar sobre o meu problema com os populares vídeo games portáteis que vendem até mais que os de mesa.
Eu sou naturalmente distraído, dificilmente me concentro em alguma coisa por muito tempo. Seja qual for a situação eu penso em milhares de coisas enquanto alguém me conta algo ou está falando comigo. A minha namora diz que isso é porque eu sou do signo de gêmeos e eu uso isso como desculpa por comodidade, assim como faço com várias coisas que não acredito.Mas existem raras exceções a esse meu problema: Livros, músicas e, especialmente, jogos.
Eu não sou capaz de ouvir com total atenção uma conversa de 2 minutos, mas eu passei cada uma das minhas 100 horas de Fallout 3 em um estado que a casa poderia pegar fogo e eu não iria perceber.Um mundo imersivo, boas histórias, personagens que me agradem e a sensação de controlar o rumo daquela aventura são a receita perfeita pra ganhar minha atenção por tempo ilimitado. No entanto, este maravilhoso estado de Pearl Jam nirvana não acontece quando eu estou jogando em portáteis.
Eu já tentei todo tipo de jogo, desde rpg´s até jogos de tiro e corrida, mas em nenhum destes eu me sentia da mesma forma que me sentia ao jogar num console. Mesmo quando eu jogava um jogo de console emulado no PSP ou um remake eu tinha a mesma sensação de paz e tranqüilidade que me faziam esquecer de tudo por alguns instantes. Eu até conseguia jogar por horas, mas desde que fosse a noite e sem barulho por perto. Condição em que jogar no console ou PC seria muito mais interessante.
Eu sei que a intenção dos portáteis é poder se divertir por pouco tempo enquanto está longe de casa e esperando em algum lugar como uma fila de banco. E é justamente aí que moram dois dos meus problemas com os portáteis: Eu não consigo me concentrar no jogo em nenhuma dessas situações (mesmo com fone de ouvido) e não gosto de jogos de desligar o cérebro.Por mais divertido que seja planejar um lançamento em Angry Birds eu não consigo fazer isso em locais lotados de gente e entre isso e jogar um RTS no meu PC fico coma segunda opção sem pensar duas vezes. Mesmo em ótimos rpg´s, que são meu gênero favorito por sinal, como Tactics Ogre e Final Fantasy Tactics, nos quais passei mais de 60 horas, eu preferia se pudesse escolher jogá-los no meu Playstation 3 ou no PC.

Faço questão de deixar claro que cada pessoa tem um tipo de comportamento e consegue fazer coisas que outras não conseguem. Eu não consigo ler nem pensar direito com muito barulho por perto então quando vou ao banco ou estou em uma fila pra alguma coisa ouço podcasts(tem um tal de Super Controle que dizem que é muito bom!). Tenho um primo que leu livros gigantescos e nada simples nas aulas dele e em outros lugares muito barulhentos.

Se você curte portáteis e joga bastante nos mesmos eu gostaria de saber onde você joga e se você consegue se concentrar tranquilamente. Se sim, eu o invejo,  porque jogar em portáteis pra mim se mostrou impossível.

Deixe uma resposta